NARCÓTICOS ANÓNIMOS
Região Portuguesa

Os Doze Conceitos de Serviço de NA

1º Conceito
A fim de cumprirem o propósito primordial da nossa irmandade, os grupos de NA juntaram-se para criar uma estrutura que desenvolve, coordena e mantém serviços em nome de NA no seu todo.
(A principal responsabilidade de um grupo de NA é conduzir as reuniões de recuperação, e transmitir a mensagem diretamente ao adicto que ainda sofre. Os grupos unem forças através de uma estrutura, garantindo assim que outros serviços – H.I., R.P., desenvolvimento de literatura, por exemplo – sejam realizados de forma eficaz, sem desviar os grupos do seu próprio propósito primordial.)

2º Conceito
A responsabilidade e a autoridade final pelos serviços de NA encontram-se nos grupos de NA.
(Os grupos detêm a responsabilidade final e a autoridade sobre a estrutura de serviço que criaram. Ao cumprir sua responsabilidade de contribuir com sua consciência e idéias, pessoal e dinheiro, os grupos estão também a exercitar a sua autoridade. De forma recíproca, a estrutura de serviço precisa estar sempre a olhar para os grupos à procura de apoio e orientações.)

3º Conceito
Os grupos de NA delegam na estrutura de serviço a autoridade necessária para cumprir as responsabilidades que lhe estão atribuídas.
(Nos assuntos quotidianos, os grupos dão aos comités e comissões de serviço autoridade prática para realizar as tarefas a eles delegadas. Isto não quer dizer que é dado à estrutura de serviço um cheque assinado em branco; os grupos ainda assim detêm a autoridade final. Para fazer resultar o Terceiro Conceito, precisamos ter critérios ao selecionar os servidores de confiança.)

4º Conceito
Uma liderança efectiva é altamente prezada em Narcóticos Anónimos. As qualidades de liderança deverão ser cuidadosamente consideradas aquando da escolha de servidores de confiança.
(A liderança é muito importante para o bem-estar da nossa irmandade. O texto deste Conceito descreve uma série de qualidades de liderança a serem consideradas ao selecionar os servidores de confiança.)

5º Conceito
Para cada responsabilidade atribuída à estrutura de serviço, deverá ser claramente definido um ponto único de decisão e de responsabilização.
(Ao definir uma instância única de decisão para cada tarefa do serviço, eliminamos a confusão sobre quem tem autoridade para fazer o quê. Também esclarecemos a responsabilidade pelos nossos serviços: quem receber autoridade para realizar uma determinada tarefa será responsável pela sua execução.)

6º Conceito
A consciência de grupo constitui o processo espiritual através do qual convidamos um Deus amantíssimo a influenciar as nossas decisões.
(A consciência colectiva é o meio pelo qual fazemos com que o despertar espiritual dos Doze Passos influencie nas decisões do serviço. É fundamental ao processo decisório da nossa irmandade. Contudo, não representa um eufemismo para “votação”, nem é, em si, o processo decisório de NA.)

7º Conceito
Todos os membros de um órgão de serviço suportam uma responsabilidade substancial pelas decisões desse órgão e deverá ser-lhes permitida uma participação plena nos processos de tomada de decisão.
(Todos os membros de um corpo de serviço arcam com uma responsabilidade substancial pelas decisões deste corpo; portanto, todos eles devem poder participar plenamente do seu processo decisório. O serviço de NA é um trabalho em equipa. A plena participação de cada membro da equipa é de grande valor, quando procuramos expressar a consciência colectiva.)

8º Conceito
A nossa estrutura de serviço depende da integridade e eficácia das nossas comunicações.
(A comunicação regular é essencial ao cumprimento de todos estes Conceitos, e à integridade e eficácia dos próprios serviços.)

9º Conceito
Todos os elementos da nossa estrutura de serviço têm a responsabilidade de ponderar cuidadosamente todos os pontos de vista nos seus processos de tomada de decisão.
(Para conferir um julgamento, evitar decisões precipitadas ou mal informadas e estimular a partilha de novas idéias, nossos serviços devem considerar todos os pontos de vista, ao fazerem seus planos. Isto é essencial ao desenvolvimento de uma consciência colectiva justa, sábia e equilibrada.)

10º Conceito
Qualquer membro de um órgão de serviço pode solicitar a esse órgão a reparação de uma injustiça pessoal, sem receio de represálias.
(O Décimo Conceito encoraja a tratarmo-nos com respeito no ambiente de serviço, e nos oferece um meio de fazer reparações quando erramos com os outros. O texto descreve meios que a pessoa pode utilizar para requerer retratação, quando sentir que foi injustiçada.)

11º Conceito
Os fundos de NA deverão ser utilizados para promover o nosso propósito primordial e deverão ser geridos com responsabilidade.
(O Décimo-Primeiro Conceito estabelece a prioridade única e absoluta para a utilização dos recursos de NA: transmitir a mensagem. A importância dessa prioridade demanda uma total responsabilidade fiscal. As contribuições diretas para cada nível de serviço nos ajudam a manter o foco no nosso propósito primordial, e melhorar a prestação de contas.)

12º Conceito
A fim de seguir a natureza espiritual de Narcóticos Anónimos, a nossa estrutura deverá ser sempre uma estrutura de serviço e nunca de governação.
(Dentro do contexto dos Doze Conceitos, no seu todo, este tem uma função muito semelhante à da Décima-Segunda Tradição em seu contexto. Leva-nos a considerar os Conceitos para o serviço de NA à luz da sua raiz espiritual de serviço abnegado. “Uma estrutura baseada nesse alicerce só poderia ser de serviço, nunca de governação”.)

Copyright (c)1983, NA World Services, Inc. Reprinted by permission. All rights reserved.

<<< Voltar